pt-PTen-GB
  |     |  Secretaria online



Apresentação

Tendo em conta que Portugal, enquanto membro da União Europeia, não pode ficar alheio às políticas definidas pelos órgãos comunitários com vista à criação de um espaço de livre circulação de pessoas, bens e serviços e para que a internacionalização dos estudos, no âmbito do Programa Erasmus+, se efectuasse com êxito, foi necessária a criação de determinadas condições que possibilitassem o cumprimento dos pressupostos definidos. Nesta perspectiva, e em 1995, a Universidade Lusíada deu início aos preparativos de adesão e implementação do Programa Erasmus+ e, em 1999, ao sistema ECTS.

No que diz respeito ao Programa Erasmus+, foram já ultrapassadas as fases I e II, assim denominadas pela Comissão Europeia, e hoje a Universidade Lusíada, detentora de uma Carta Universitária Erasmus, está plenamente inserida no espaço europeu de mobilidade, usufruindo de autonomia descentralizada e utilizando todas as "ferramentas" postas à disposição das instituições de ensino superior pela Direcção-Geral de Educação e Cultura, da Comissão Europeia. Com intensos fluxos anuais de incoming e outcoming, relativamente aos alunos, que têm aumentado ano após ano, a Universidade Lusíada, para reforçar as suas parcerias com outras instituições, tem diversificado o número de contratos institucionais por toda a Europa, alargando uma rede que vai da Europa do Sul à Escandinávia, e da Europa Central à Europa do Leste, e que no ano lectivo de 2010/2011 se cifrava em mais de 100 contratos estabelecidos.

No que concerne à mobilidade de docentes tem a Universidade procurado sensibilizar os seus professores para esta realidade da mobilidade e formação dado que estes instrumentos comunitários lhes permitem encontrar e contactar outras realidades educativas e enriquecer os seus próprios currículos. Assim, os contratos que têm sido assinados para a área de alunos passaram a ser estendidos aos docentes e também a técnicos, mediante o interesse demonstrado pelos coordenadores departamentais e institucionais. Neste momento, a Universidade Lusíada pode orgulhar-se da rede de parcerias já estabelecidas em toda a Europa Comunitária, países associados, Confederação Helvética e futuros membros da União, para a qual têm também colaborado de forma determinante as Direcções de todas as Faculdades.

O Gabinete Erasmus+ é a estrutura, na Universidade Lusíada, destacada para promover os princípios da mobilidade Erasmus+, divulgar os seus objectivos concretos, tratar toda a informação relativa às suas linhas orientadoras, emanadas desde Bruxelas, e levar à prática todos os procedimentos relativos à execução da estratégia europeia delineada pela Universidade.

O Gabinete é, portanto, responsável não só pela selecção e colocação nas instituições europeias de ensino superior de alunos, professores e staff portugueses mas também pela recepção, acolhimento e integração na Universidade Lusíada dos alunos e professores estrangeiros que aqui procuram desenvolver os seus planos de estudo, de leccionação e de estratégia empresarial.

Em estreita ligação com a Agência Nacional PROALV o Gabinete executa as linhas orientadoras do Programa Erasmus+ beneficiando, contudo, desde 2003 do estatuto de Instituição Descentralizada, no que diz respeito à gestão de verbas europeias envolvidas e na aplicação das práticas que estão regulamentadas pela Comissão Europeia.

O Gabinete tem a sua sede em Lisboa, tendo como responsável o Dr. João de Castro Fernandes. É auxiliado nessas funções pela Técnica Célia Oliveira, no campus de Lisboa, e pela Dr.ª Susana Ferreira, que coordena o campus do Porto e o campus de Vila Nova de Famalicão.

Este Serviço está permanentemente disponível para atender alunos e professores, em especial os alunos estrangeiros que, em mobilidade, se integram numa nova realidade académica, cumprem um plano de estudos supervisionado por um coordenador português e se adaptam a regras e procedimentos diferentes. É particularmente nestas situações que o Gabinete está atento, quer às dúvidas e às solicitações de qualquer tipo dos nossos estudantes incoming, quer ao estabelecimento das ligações necessárias ao cumprimento das novas realidades académicas e sociais.

Igualmente, o Gabinete organiza várias acções, durante o ano lectivo, com a finalidade de promover o intercâmbio cultural entre os alunos estrangeiros e os alunos da Universidade Lusíada. Estas actividades decorrem com o apoio dos nossos antigos alunos Erasmus, a quem é frequentemente pedida colaboração.