pt-PTen-GB
  |     |  Secretaria online
CLISSIS  >  CLISSIS  >  Apresentação
Apresentação

O Centro Lusíada de Investigação em Serviço Social e Intervenção Social (CLISSIS) nasceu em 2007, no contexto da integração do Instituto Superior de Serviço Social de Lisboa na Universidade Lusíada (ISSSL-ULL). Desde o início, o CLISSIS definiu-se num âmbito de ação mais vasto do que o serviço social, e que designou de "intervenção social", promovendo a investigação sobre problemas sociais, políticas sociais e atores sociais.

Através do ISSSL-ULL, o CLISSIS integrou uma rede de contatos com numerosas organizações sociais públicas e privadas da área de Lisboa, tornando-se um espaço de reflexão e debate sobre problemas sociais relevantes, sobre estratégias de intervenção social e sobre as próprias instituições sociais. Este é um dos pilares fundamentais que distingue o CLISSIS e que é um dos seus principais pontos fortes. Mais recentemente, novos investigadores juntaram-se ao CLISSIS e alargaram e enriqueceram o seu campo original. Alguns destes investigadores vieram da área da Motricidade Humana, numa ótica de enquadramento do desporto e da atividade física como atividades sociais e estratégias de ação social. Um segundo grupo de investigadores está envolvido em estudos sobre a sustentabilidade social das organizações, incluindo nelas quer as organizações sociais, quer as empresas privadas. Finalmente, outros investigadores estão ligados a estudos na área da satisfação, bem-estar e felicidade. A atual equipa do CLISSIS é composta por 12 investigadores integrados e 12 investigadores colaboradores.

A visão do CLISSIS é a de ser uma referência técnica e científica que contribui, com as suas atividades, para o desenvolvimento do conhecimento sobre os problemas sociais, o qual poderá ser usado pelas organizações sociais e profissionais no desenho de estratégias, políticas, programas e instrumentos de promoção do bem-estar e qualidade de vida da população portuguesa. Para isto, o CLISSIS trabalhará com e para investigadores, profissionais e organizações do sector público e social, e também com profissionais e empresas privadas no contexto da sustentabilidade social e da responsabilidade sociais das organizações. O CLISSIS desenvolverá também fortes ligações com organizações públicas e privadas, tais como organizações não governamentais (ONG), instituições particulares de solidariedade social (IPSS), hospitais, projetos sociais e organizações governamentais com quem mantém contatos. No contexto do seu recente alargamento, trabalhará com empresas sobre o seu envolvimento em atividades de responsabilidade social das empresas (RSE) e sobre o impacto social das suas operações nas comunidades e nos seus contextos ambientais. Uma outra nova área do CLISSIS será o estudo do desporto e das atividades físicas como factos sociais, e como estratégias de promoção do bem-estar e da inclusão social, podendo incluir a oferta deste tipo de atividades à comunidade universitária e envolvente da Universidade.


Composição

O CLISSIS integra actualmente 20 investigadores doutorados, 6 mestres e 2 licenciados. 6 dos mestres são doutorandos. Uma das mestres é bolseira de doutoramento da FCT.

Organização

O CLISSIS está organizado em dois grupos de investigação.

Um primeiro Grupo de Investigação, designado "Serviço Social e Estratégias de Intervenção Social", o qual integra as seguintes linhas de investigação:

  1. Serviço Social: pensamento e práticas profissionais.
    Coordenação: Maria Júlia Faria Cardoso
  2. Inovação na intervenção social: actores, organizações sociais, metodologias de intervenção e sustentabilidade.
  3. Famílias: dinâmicas, problemas e mudanças.
    Coordenação: Duarte Gonçalo Rei Vilar
  4. Inclusão social: problemas e políticas.
    Membros: Marina Manuela Santos Antunes
  5. Metodologias de investigação na intervenção social.
    Coordenação: Michel Gustave Joseph Binet

Um segundo grupo de investigação designado BERTS - Bem-estar, Resiliência, Trabalho e Sustentabilidade, coordenado pela Prof.ª Doutora Isabel Cristina de Seixas Patricio Duarte de Almeida.

Projectos em curso


GI 1 "Serviço Social e Estratégias de Intervenção Social"


LI 1.1. Serviço Social: pensamento e práticas profissionais

Projecto PAPESS

Este grupo está actualmente centrada num projecto de tratamento e análise do espólio do ISSSL que se intitula: Para uma anamnese das primeiras escolas de Serviço Social: dos movimentos de criação à sua materialização na história.

O projecto pretende debruçar-se sobre a história do Serviço Social em Portugal e no mundo e, em particular, sobre a emergência das primeiras instituições educativas de serviço social, assente sobretudo no estudo do património documental e arquivístico dessas escolas.

Com este projecto pretende-se fazer o tratamento e a organização dos acervos documentais do ISSSL, com o objectivo de estudar, inventariar, preservar e divulgar os seus conteúdos através da aplicação de práticas arquivísticas, biblioteconómicas e museológicas.

LI 1.2. Inovação na intervenção social: actores, organizações sociais, metodologias de intervenção e sustentabilidade

Laboratório de Inovação Socio-territorial

É uma unidade operacional de inovação e empreendedorismo do CLISSIS (Centro Lusíada de Investigação em Serviço Social e Intervenção Social), integrada na linha de investigação "Inovação na Intervenção social - metodologias, sustentabilidade, actores e organizações",a desenvolver peloGrupo de Investigação (GI) "Serviço Social e Estratégias de Intervenção Social", coordenado pela prof.ª doutora Sandra Regina Alexandre Ferreira Vieira.

Concebe, planeia, executa e avalia projectos de inovação e desenvolvimento socio-territorial. Os projectos que desenvolve nascem sempre da necessidade concreta que é sentida por pessoas em situações específicas, com relações concretas, em territórios reais.

  • Rede de apoio a estudantes estrangeiros, nacionais de países lusófonos (que vêm estudar e/ou que estão a estudar no ensino superior em Portugal) - estratégia de inclusão social em resposta à diminuição do insucesso escolar e desenvolvimento das redes de internacionalização do ensino superior.
LI 1.3. Famílias: dinâmicas, problemas e mudanças

GIEI - Grupo de Investigação sobre Envelhecimento e Idosos.

Projecto Idosos, sexualidade e qualidade de vida

O projecto, institulado "Idosos, Sexualidade e Qualidade de Vida" reunia uma parceria composta pelo CLISSIS, ICSUL, CESPA e Sociedade Portuguesa de Sexologia Clínica.
Apresenta-se em seguida o resumo do projecto.

O presente projecto presente, em primeiro lugar, contribuir para responder a esta lacuna de conhecimento através de um estatuto de natureza qualitativa e quantitativa que permita compreender as características a diversidade e as especificidades da expressão da sexualidade nos idosos, as suas expectativas e desejos, as barreiras existentes, os seus problemas e necessidades.
Em segundo lugar, pretendemos perceber as representações sobre a sexualidade dos idosos dos dirigentes e profissionais das instituições que dão apoio este grupo populacional nas diversas valências - centro de dia, lar residencial, apoio domiciliário - e também dos profissionais de saúde dos centros de saúde.

Projecto qualidade de vida no processo de reforma e envelhecimento activo

Objectivo

Identificar e caracterizar os factores sociais e psicológicos que influenciam a qualidade de vida no processo de envelhecimento.

Amostra
  • Indivíduos dos 50 aos 70 anos;
  • Técnicos / empregadores que trabalharem com a população dos 50 aos 75 anos;
  • Pretende-se um misto de homens e mulheres, com ESE baixo e elevado, activos profissionalmente reformados.
Metodologia

Métodos qualitativos

  • Entrevista de grupo - grupos focais com pessoas dos 50 aos 75 sobre a qualidade de vida (mínimo 4);
  • Entrevista individual com técnicos / empregadores que trabalhem com a população dos 50 aos 75 anos;
LI 1.5. Metodologias de investigação na intervenção social.

GEACC - Grupo de Etnometodologia e Análise Conversacional da Clusividade social

Pertence ao CLISSIS, o Grupo de Etnometodologia e Análise Consersavional da Clusividade social (GEACC - CLISSIS) prossegue as suas actividades no âmbito de dois projectos:
  1. Projecto ACASS | Análise Conversacional Aplicada ao Serviço Social

    Projecto fundador do grupo, o ACASS tem como primeiro objectivo a recolha e a análise conversacional de Corpora de gravações e/ou filmagens de práticas profissionais registadas em quadros interaccionais, que desempenham um papel-chave no exercício da profissão de Assistente Social, em vários sectores de intervenção social.

  2. Projecto ACA - DI | Análise Conversacional Aplicada na área da Deficiência Intelectual

    Em curso de desenvolvimento, este segundo Projecto já deu passos importantes em termos de recolha de dados (corpora de gravações e de filmagens; entrevistas; fotografias; etc.) e de construção de parcerias (Divisão de Educação da Câmara Municipal de Cascais; Escola Superior de Saúde do Instituto Politécnico de Setúbal; etc.) visando facilitar a abertura de novos terrenos e potenciar a aplicação de métodos de investigação participativa. Contactos e parcerias estendem-se a pesquisadores e equipas de investigação. Destaca-se aqui o nome de Ana Cristina Ostermann (UNISINOS), a mais importante Analista Conversacional brasileira, no sector da saúde.

    Este projecto concretiza-se doravante sob a forma de um projecto-piloto desenvolvido em parceria com a FENACERCI e a PPLL Consult: o Projecto-piloto ACTO(Análise Conversacional do Trabalho e das Organizações).

    Este projecto tem por principais motores (1) a elaboração de uma tese de doutoramento em Serviço Social, no ISCTE, por Michel Binet e (2) as actividades desenvolvidas no campo da consultoria por Michel Binet, no seio da PPLL Consult.