Apresentação

A Universidade Lusíada apresenta com orgulho as suas primeiras Jornadas Clínicas de Musicoterapia, para o dia 23 de Março de 2019. Esta instituição de ensino superior tem desenvolvido trabalho pioneiro em Portugal na formação de profissionais de musicoterapia e são já notórios os contributos desta formação para a multiplicação da oferta de serviços nesta área do conhecimento, bem como a divulgação e sensibilização para os benefícios de inserir esta disciplina no leque de serviços prestados pelas equipas de cuidados de saúde, reabilitação e educação especial das mais variadas organizações. Os nossos antigos alunos estão em força no terreno e são eles próprios, juntamente com a Universidade e a Associação Portuguesa de Musicoterapia, os agentes de divulgação, implementação e profissionalização da musicoterapia em Portugal.

Nestas jornadas, iremos convidar estagiários, antigos alunos e professores do mestrado em Musicoterapia, bem como alguns oradores internacionais para um evento de partilha, reflexão e mobilização de musicoterapeutas. Teremos como convidados a Dr.ª Ilse Wolfram, psicoterapeuta e musicoterapeuta, do Institut für Musiktherapie und seelische Gesundheit e.V., e o Prof. Doutor Luís Alberto Mateos Hernández, musicoterapeuta e professor, da Universidad Pontificia de Salamanca, que vêm partilhar as suas abordagens dinâmicas e profundamente humanistas da intervenção musicoterapêutica em qualquer fase do ciclo de vida.

A Universidade Lusíada tem vindo a encetar uma estreita e saudável relação de colaboração com a Associação Portuguesa de Musicoterapia, cujos representantes estarão presentes neste evento para divulgar o seu trabalho e responder aos pedidos de esclarecimento de profissionais, formandos e público em geral.

Programa • 23 Março 2019 • Auditório 4

- entrada sujeita a inscrição -


09H00
Abertura do secretariado e recepção dos participantes.
09H30

Sessão de abertura:

  • Prof.ª Doutora Tânia Gaspar Sintra dos Santos
    Directora do Instituto de Psicologia e Ciências da Educação
    Responsável do grupo de investigação "Qualidade de vida, intervenção psicossocial e cidadania"
    Centro Lusíada de Investigação em Serviço Social e Intervenção Social
    Universidade Lusíada
  • Prof.ª Doutora Teresa Paula Rodrigues de Oliveira Leite Maurer
    Coordenadora do mestrado em Musicoterapia
    Instituto de Psicologia e Ciências da Educação
    Investigadora do grupo "Qualidade de vida, intervenção psicossocial e cidadania"
    Centro Lusíada de Investigação em Serviço Social e Intervenção Social
    Universidade Lusíada
  • Mestre Ana Daniela Carreira Cordeiro Esperança
    Presidente da Direcção da Associação Portuguesa de Musicoterapia
09H45

Momento musical:

  • Estudantes do mestrado em Musicoterapia
    Instituto de Psicologia e Ciências da Educação
    Universidade Lusíada
10H00

Keynote Speaker:

  • Aims and wishes within the music therapeutic process.
    Dr.ª Ilse Wolfram

    Psicoterapeuta e musicoterapeuta
    Institut für Musiktherapie und seelische Gesundheit e.V.

    BIO: Born 1941, studies of Social Work. 15 years in practice with social administration, juvenile delinquents, consultating offices. Studies of Psychology with focus on organisational psychology. Training of Music Therapy at European Academy for Psycho-Social-Mental-Health (formerly Fritz Perls Institute). Teaching Music Therapist. Freelance Practitioner with mostly adults, sexually abused women, neurological patients. Long year engagement in professional local, national and European organisations.

    ABSTRACT: Patients seeking a treatment place speak out a great variety of reasons when asked about their motivation to come. The music therapist himself should not be too sure about the "true" wishes and intentions of the future client. As practitioner, looking back on 30 years of treatment experience, I am interested in finding eventual changes relating to the general aims in this long period of time, and in searching for the individual changes of wishes by comparing beginnings and endings of the process.

Moderadora:

  • Prof.ª Doutora Tânia Gaspar Sintra dos Santos
    Directora do Instituto de Psicologia e Ciências da Educação
    Responsável do grupo de investigação "Qualidade de vida, intervenção psicossocial e cidadania"
    Centro Lusíada de Investigação em Serviço Social e Intervenção Social
    Universidade Lusíada
10H45
Pausa
11H00

Painel 1 - Intervenção em estágio clínico: estudo de casos.

  • Express yourself: a musicoterapia como ferramenta de expressão emocional no adolescente.
    Dr. Alexandre Alberto de Oliveira Ferreira e Cunha Caetano

    Mestrando em Musicoterapia
    Instituto de Psicologia e Ciências da Educação
    Universidade Lusíada

    BIO: Professor de música, musicoterapeuta e músico performativo. Trabalha como professor de música com populações desde os 6 meses até ao primeiro ciclo do ensino básico, inclusive. Como musicoterapeuta, trabalha com populações de crianças e jovens em risco, adultos com perturbações e doença mental e adultos com deficiência física. Áreas de interesse: musicoterapia, composição e produção musical.

    RESUMO: A musicoterapia é uma área de intervenção terapêutica que apresenta resultados significativos na expressão emocional e na exteriorização de sentimentos nos adolescentes. A criação de músicas e letras permitem ao adolescente uma exploração, do seu mundo interior, e uma atribuição de significado às suas experiências positivas e negativas. A relação terapêutica entre o utente e o terapeuta, sobre uma perspectiva rogeriana, facilita o percurso traçado na definição dos objectivos terapêuticos para cada utente. Através da relação empática e no estar disponível em pleno para o outro é possível almejar uma promoção de saúde mental, emocional, física e cognitiva que contribuem para um maior bem-estar no adolescente.

  • A musicoterapia na abordagem de idosos institucionalizados portadores de demência.
    Mestre Ana Carolina Lobo Correia
    Professora de música e musicoterapeuta
    Instituto de Psicologia e Ciências da Educação
    Universidade Lusíada

    BIO: Iniciou os seus estudos musicais na Academia de Música de Espinho aos 6 anos, na classe de piano, e, em 2008, ingressa na classe de saxofone. É licenciada em Música, pela Universidade do Minho, e, desde 2016, é mestre em Ensino da Música, na variante de saxofone, pela Universidade do Minho. Em 2014, iniciou o seu percurso profissional como professora de saxofone e piano em diversas escolas de Braga, com crianças e adultos, e na Academia de Música de Basto, em Celorico de Basto. É, também, mestre em Musicoterapia pela Universidade Lusíada, tendo desenvolvido um trabalho de intervenção com idosos institucionalizados com demência no âmbito do estágio curricular do mestrado de Musicoterapia.

    RESUMO: Os idosos com demência enfrentam diversos desafios em resultado da deterioração ao nível cognitivo, físico e social. Neste sentido, a musicoterapia tem como objectivos, entre outros, a estimulação de todas as suas capacidades, tentando manter a sua identidade pessoal. Em idosos em fase terminal, verifica-se receptividade à música. Mesmo que a capacidade comunicativa se deteriore é possível usar a música como um veículo alternativo para a expressão e para o contacto com os outros. Neste sentido, esta comunicação pretende apresentar o trabalho desenvolvido na ERPI Nossa Senhora da Misericórdia, da Santa Casa de Misericórdia de Braga. O caso clínico consiste numa utente, de 90 anos, com uma demência grave, totalmente dependente, acamada e a ser alimentada por uma sonda nasogástrica. No início da intervenção, a utente apresentava perturbações ao nível da comunicação, estabelecia ocasionalmente contacto visual, mas a sua expressão facial era ausente, apática e demonstrava pouca ou nenhuma reacção à presença de outros. Após 20 sessões de musicoterapia verificou-se maior contacto, participação e reacção a diferentes estímulos, bem como o aumento de respostas verbais na sequência da música produzida.

  • Musicoterapia no tratamento da dor.
    Dr. Gil Ramos Maia Henriques
    Mestrando em Musicoterapia
    Instituto de Psicologia e Ciências da Educação
    Universidade Lusíada

    BIO: Mestrando em Musicoterapia na Universidade Lusíada, pós-graduado em Desenvolvimento pelas Artes Expressivas pelo ISPA – Instituto Universitário e em Filosofia pela Universidade Nova de Lisboa e pela Freie Universität Berlin. Intervém em musicoterapia no Hospital Garcia de Orta, em colaboração com a equipa multidisciplinar de dor. Trabalha em actividades de música para crianças, desde 2010. Estudou música e violino no Conservatório de Música da Orquestra Metropolitana de Lisboa.

    RESUMO: A musicoterapia no tratamento da dor crónica é uma intervenção não farmacológica recente em Portugal, que tem sido proporcionada pelo Centro Multidisciplinar de Dor do Hospital Garcia de Orta, em Almada. A dor crónica constitui a causa mais frequente de consulta médica, afectando mais de 30% da população adulta portuguesa. É um fenómeno complexo e um problema de Saúde Pública com contornos epidémicos. As dificuldades adaptativas da pessoa com dor crónica conduzem ao absentismo, isolamento, abstenção laboral, comorbilidades (como ansiedade, depressão e abuso de substâncias) que consequentemente aumentam a percepção de dor. O tratamento da dor, realizado por uma equipa multidisciplinar especializada, contempla a individualidade e subjectividade de quem a sofre. Juntamente com a experiência de dor, a pessoa lida com incapacidade, alterações no quotidiano, perdas e conflitos relacionais. O musicoterapeuta, através de uma relação terapêutica, acompanha necessidades e estratégias de confronto enquanto facilita experiências musicais. A música da pessoa com dor torna-se um veículo de expressão, que pode expressar a dor e o resgate da criatividade. A intervenção musicoterapêutica actua na modulação perceptiva, motiva o relacionamento, desenvolve capacidades e combate o absentismo, diminui a catastrofização, potencia a expressão emocional e o relaxamento, reduz a ansiedade e a depressão.

Moderadora:

  • Prof.ª Doutora Túlia Rute Maia Cabrita
    Instituto de Psicologia e Ciências da Educação
    Investigadora do grupo "Qualidade de vida, intervenção psicossocial e cidadania"
    Centro Lusíada de Investigação em Serviço Social e Intervenção Social
    Universidade Lusíada
12H30 Pausa
14H00

Sessão plenária - A profissionalização da musicoterapia em Portugal.

  • A Associação Portuguesa de Musicoterapia e o seu lugar na comunidade profissional.
    Mestre Ana Daniela Carreira Cordeiro Esperança
    Presidente da Direcção da Associação Portuguesa de Musicoterapia

    BIO: É licenciada em Educação de Infância e especializada em Educação Especial pela Escola Superior de Educação e Ciências Sociais do Instituto Politécnico de Leiria. É mestre em Musicoterapia pela Universidade Lusíada. Actualmente, é Professora de Música em vários Jardins de Infância, docente convidada na Escola Superior de Educação e Ciências Sociais do Instituto Politécnico de Leiria, musicoterapeuta em Leiria e Fátima e coordenadora da equipa de intervenção terapêutica "Em Laços". É, também, Presidente da direcção da Associação Portuguesa de Musicoterapia.

    RESUMO: A Associação Portuguesa de Musicoterapia (APMT) tem como objectivos, entre outros, lutar pela seriedade do exercício e divulgação da profissão, contribuir para a formação e aperfeiçoamento dos profissionais de musicoterapia e colaborar com instituições na definição e concretização de políticas no âmbito da musicoterapia. O que tem feito a APMT nos últimos anos? Qual a sua importância para a musicoterapia em Portugal? Como concretiza os objectivos a que se propõe?" Estas serão algumas das questões que irão ser abordadas ao longo desta sessão.

  • Reconhecimento profissional da Musicoterapia em Portugal.
    Doutora Ana Rita Laureano Maia

    Vice-Presidente da Direcção da Associação Portuguesa de Musicoterapia

    BIO: Licenciou-se em Educação de Infância na Escola Superior de Educação Jean Piaget, realizou o mestrado em Musicoterapia na Universidade Lusíada e é doutorada em Ciências da Educação, na especialidade de Necessidades Educativas Especiais pela Universidade Nova de Lisboa / FCT/ ISPA. Trabalhou como educadora de infância. Actualmente é musicoterapeuta e tem vindo a desenvolver o seu trabalho em lares de acolhimento de crianças e jovens institucionalizadas; na área da intervenção precoce, com crianças com Síndrome de Rett; em contexto escolar, em Gabinetes de Educação Especial e Unidade de Multideficiência, com crianças e jovens com necessidades educativas especiais e multideficiência; em contexto hospitalar e comunitário, em projectos comunitários de inclusão social de adultos na área da saúde mental e demência; e com idosos institucionalizados com demência, Alzheimer e problemas associados. É, também, Vice-Presidente da Associação Portuguesa de Musicoterapia.

    RESUMO: A musicoterapia, sendo uma intervenção clínica, coloca no profissional a responsabilidade de agir com competência no sentido de proteger e zelar pela saúde e segurança dos seus clientes. Cada vez mais, a Associação Portuguesa de Musicoterapia se cruza com profissionais que fazem musicoterapia sem, no entanto, terem qualquer tipo de formação nesta área. Por esta razão, é da máxima importância que estejam regulamentadas a formação, a prática clínica, a supervisão e o desenvolvimento pessoal dos profissionais que levam a cabo este tipo de intervenção. A Associação Portuguesa de Musicoterapia tem vindo a desenvolver um trabalho contínuo e persistente no que diz respeito ao processo de regulamentação e reconhecimento profissional da musicoterapia em Portugal, à semelhança do que tem acontecido em vários países da União Europeia, de forma a que o acesso e o exercício da profissão de musicoterapeuta dependam do cumprimento de requisitos profissionais. A regulamentação desta profissão é da máxima importância para o esclarecimento de potenciais clientes e a busca de profissionais por parte de entidades empregadoras. Pretende-se, assim, expor e elucidar a importância da integração da profissão de musicoterapeuta na Classificação Portuguesa das Profissões (CPP).

Moderadora:

  • Prof.ª Doutora Teresa Paula Rodrigues de Oliveira Leite Maurer
    Coordenadora do mestrado em Musicoterapia
    Instituto de Psicologia e Ciências da Educação
    Investigadora do grupo "Qualidade de vida, intervenção psicossocial e cidadania"
    Centro Lusíada de Investigação em Serviço Social e Intervenção Social
    Universidade Lusíada
15H00 Pausa
15H15

Painel 2 - Projectos de investigação e intervenção.

  • A temporalidade das interacções vocais em díades pré-termo na condição da fala materna versus canto materno durante o método canguru: estudo de microanálise.
    Prof.ª Doutora Maria Eduarda Salgado Carvalho

    Investigadora integrada no Centro de Estudos de Sociologia e Estética Musical (CESEM) • NOVA FCSH
    Docente convidada no Mestrado em Musicoterapia • Instituto de Psicologia e Ciências da Educação • Universidade Lusíada

    BIO: É psicóloga clínica, musicoterapeuta (certificada pela Associação Portuguesa de Musicoterapia - APMT), docente universitária no mestrado em Musicoterapia da Universidade Lusíada desde a sua origem; colaborou, entre 2015 e 2018, como docente no master em Musicothérapie da Université Paris-Descartes (Paris V); Entre 2015 e 2018, desempenhou funções de bolseira em pós-doutoramento no Laboratório de Música e Comunicação da Infância integrado no CESEM-FCSH/NOVA, em tutoria com o BabyLab da Universidade Nanterre e com a Faculdade de Psicologia da Universidade de Lisboa, desenvolvendo um estudo de microanálise acerca das interacções vocais e fisiológicas em díades pré-termo no Serviço de Neonatologia da Maternidade Dr. Alfredo da Costa e cujos resultados têm sido alvo de várias comunicações em congressos nacionais e internacionais. Actualmente, exerce funções como investigadora no CESEM-FCSH/NOVA, no Grupo de Música e Desenvolvimento Humano.

    RESUMO: Introdução: A literatura científica refere que as vocalizações dos recém-nascidos a termo ocorrem dentro de um curto período de latência, sendo observado um aumento de vocalizações de bebés prematuros após a exposição à fala parental. Objectivo: analisar as características temporais das vocalizações maternas e das vocalizações dos bebés durante as condições da fala materna versus canto materno. Métodos: Com base nos dados de uma amostra de 36 díades pré-termo, procedemos a microanálises das vocalizações maternas e vocalizações de bebés com recurso ao Programa ELAN. Resultados: O canto materno, quando comparado com a fala materna apresenta características temporais diferentes. Observamos uma diminuição das vocalizações dos bebés prematuros em ambas as condições comparativamente à condição de baseline silencioso sugerindo que o canto materno ou a fala estimulam a atenção dos bebés; o canto materno, comparativamente à condição de fala, induz um aumento das co-vocalizações das díades. A frequência das vocalizações maternas no canto e a variável género do bebé sugerem ser bons indicadores das vocalizações dos bebés na condição de canto. Verificou-se que os bebés prematuros reagem vocalmente com um tempo de latência maior na condição de fala do que na condição do canto. Conclusões: Os resultados sugerem a existência de uma sintonização vocal precoce em díades pré-termo, sendo o canto uma condição mais favorável do que a fala para a co-modulação vocal entre mães e bebés.

  • O impacto da intervenção musicoterapêutica intergeracional.
    Mestre Maria Gabriela dos Santos Gautier Pereira Nicolau
    Musicoterapeuta

    BIO: Musicoterapeuta certificada pela Associação Portuguesa de Musicoterapia (APMT). Mestrado em Musicoterapia pela Universidade Lusíada. Desde 2006 que desenvolve prática em musicoterapia na área do envelhecimento e das demências. Desde 2009 que promove sessões intergeracionais entre crianças e pessoas com demência.

    RESUMO: A comunicação descreve o projecto intergeracional desenvolvido  na Casa do Alecrim, pertencente à Associação Alzheimer Portugal, entre crianças da idade pré-escolar e pessoas com demência em fase moderada e fase avançada.

  • O impacto da musicoterapia nas competências sociais e emocionais de crianças e jovens institucionalizados.
    Mestre Maria Joana da Veiga Teixeira Tello Gonçalves
    Secretária da Direcção da Associação Portuguesa de Musicoterapia

    BIO: É licenciada em Serviço Social pela Universidade Católica Portuguesa, mestre em Musicoterapia pela Universidade Lusíada e vocalista de projectos musicais. Tem trabalhado nos últimos anos como musicoterapeuta com crianças, jovens e idosos. Actualmente, encontra-se a trabalhar com crianças e jovens com atraso de desenvolvimento e problemas emocionais, em contexto de clínica privado e, ainda, a coordenar um projecto de investigação da Universidade Lusíada no âmbito de jovens institucionalizados sob supervisão da Professora Doutora Teresa Leite.

    RESUMO: O projecto de investigação-acção assenta na realização de grupos de musicoterapia com sessões de frequência semanal ao longo do ano lectivo de 2018/2019. A amostra é formada por 80 jovens, entre os 12 e os 18 anos, sendo constituídos, em igual número, grupos experimentais, sujeito a um ano lectivo de sessões de musicoterapia, e grupos de controle, avaliados no início e no final do ano lectivo da mesma forma que os jovens que constituem os grupos experimentais. Os objectivos específicos deste estudo são: (1) avaliar o impacto da intervenção musicoterapêutica em grupo no que se refere às competências socioemocionais em jovens institucionalizados; (2) avaliar o impacto da intervenção musicoterapêutica nos indicadores de saúde mental dos jovens institucionalizados; (3) avaliar o impacto da intervenção musicoterapêutica nos índices de patologia do comportamento dos jovens institucionalizados. Como instrumentos de avaliação, estão a ser utilizados: o Questionário Sócio-demográfico Jovens e a Child Behaviour Checklist que deverão ser preenchidos pelo técnico que tenha a relação mais próxima com o jovem; o KidsScreen e a Escala de Competências Socioemocionais.

Moderadora:

  • Mestre Paula Cristina da Costa Lucas
    Presidente da Assembleia Geral da Associação Portuguesa de Musicoterapia
16H45

Keynote Speaker:

  • Inteligencia emocional intra e interpersonal en el musicoterapeuta: integrando self-experience y supervisión.
    Prof. Doutor Luis Alberto Mateos Hernández
    Director do mestrado em Musicoterapia
    Facultad de Educación
    Universidad Pontificia de Salamanca

    BIO: É doutorado em Psicologia (UPSA), pós-graduado em Musicoterapia (UPV/EHU) e expert em Inteligência Emocional (UNIR). É musicoterapeuta acreditado (MTAE) e supervisor de musicoterapia acreditado em Espanha (SMTAE). Na área da musicoterapia, tem experiência em educação especial, idosos e self-experience. É docente na Escuela Universitaria de Magisterio "Luis Vives" da Universidad Pontificia de Salamanca, tendo criado o departamento de Inovação Criativa (2001-2002). Coordena o master de Musicoterapia, desde 2002. Criou e dirige a Asociación Castellano Leonesa de Musicoterapia - ACLEDIMA (2001-2008), bem como a Asociación Española de Musicoterapeutas Profesionales (AEMP). É responsável pelo Sistema de Acreditação de Musicoterapeutas em Espanha (REMTA), sendo autor de várias publicações.

    RESUMO: La idea és de mostrar que el desarrollo profesional del musicoterapeuta demanda un equilibrio dinámico de crecimiento intra e interpersonal.  Y con ello, lo que eso supone: Intrapersonal: gestión emocional dando tiempo al autocuidado, etc., combinándolo con trabajo de self-experience en grupo en formación continua después del curso, etc.; Interpersonal: supervisión externa, intervisión, para el desarrollo de habilidades socioemocionales necesarias como musicoterapeutas, afrontamiento de dificultades en el rol de musicoterapeuta, etc.

Moderadora:

  • Prof.ª Doutora Susana Aurora Gutiérrez Jiménez
    Docente do Mestrado em Musicoterapia
    Instituto de Psicologia e Ciências da Educação
    Universidade Lusíada
17H30

Momento musical:

  • Estudantes do mestrado em Musicoterapia
    Instituto de Psicologia e Ciências da Educação
    Universidade Lusíada

Sessão de encerramento:

  • Prof.ª Doutora Teresa Paula Rodrigues de Oliveira Leite Maurer
    Coordenadora do mestrado em Musicoterapia
    Instituto de Psicologia e Ciências da Educação
    Investigadora do grupo "Qualidade de vida, intervenção psicossocial e cidadania"
    Centro Lusíada de Investigação em Serviço Social e Intervenção Social
    Universidade Lusíada
Organização
  • Prof.ª Doutora Teresa Paula Rodrigues de Oliveira Leite Maurer
    Coordenadora do mestrado em Musicoterapia
    Instituto de Psicologia e Ciências da Educação
    Universidade Lusíada

    Investigadora do grupo "Qualidade de vida, intervenção psicossocial e cidadania"
    Centro Lusíada de Investigação em Serviço Social e Intervenção Social
    Universidade Lusíada
Notícia

Apoio
Fotogaleria
Informações